CREP é referência de atendimento psicológico dentro e fora da Unisul

Centro funciona como projeto de extensão, recebe alunos que precisam fazer estágio obrigatório, e ainda atende empresas e comunidades de Santa Catarina

O Centro de Referência Profissional (CREP) foi criado em 2014 para oferecer atendimento psicológico organizacional e do trabalho como projeto de extensão da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

O CREP tem quatro eixos de atuação: orientação profissional e planejamento de carreira; inserção e recolocação profissional; treinamento e desenvolvimento sobre temas do mundo o trabalho; e consultoria organizacional. O atendimento é adaptado para pessoas de todas as idades, dentro e fora da Unisul.

Na prática, o centro oferece, por exemplo, atividades que ajudam jovens a escolherem sua profissão, promove capacitações em empresas e ONGs, apoia o processo de gestão de pessoas, preferencialmente em pequenos negócios, entre outros serviços. No ano passado, o CREP atendeu mais de 2 mil pessoas, entre estudantes envolvidos nas atividades e ações promovidas nas comunidades.

Ao longo dos anos, o centro se transformou no que a professora coordenadora do trabalho, Michelle Regina da Natividade, chama de “curricularização da extensão.”

“Já tivemos várias ocasiões em que uma empresa nos solicita um serviço, depois abre uma vaga de estágio para um de nossos alunos e futuramente o contrata. A curricularização da extensão é uma demanda do MEC, mas já fazemos isso no CREP há alguns anos”, explica Michelle.

O CREP, que tem sua sede instalada no campus da Pedra Bela, atende tanto os alunos que se envolvem nos projetos para cumprir a carga horária obrigatória de projetos de extensão quanto os que precisam cumprir estágio. Embora ele atraia mais estudantes de Psicologia, os projetos são abertos para alunos de todos os campos do conhecimento da Unisul.

Michelle reforça que os estudantes estão envolvidos em todas as ações do centro. Desde o planejamento até a execução das atividades. “Eles sugerem uma ideia e vão atrás para levar adiante. O aluno planeja, aprende a ir a campo falar com os representantes de empresa e comunidades, para fazer a ‘venda do serviço’. Na Psicologia isso é importante, ele é ativo, participa de tudo”, explica.

No meio ano do ano, a procura dos estudantes para compor a equipe do CREP mesmo voluntariamente foi tão grande que a coordenação precisou fazer um processo seletivo para escolher os candidatos.

Atendimento na comunidade Brejaru

Outro importante atendimento feito pelo CREP, em Palhoça, é na comunidade Brejaru, instalada ao lado do campus Pedra Bela. Michelle conta que lá se encontra a população mais carente de Santa Catarina e o CREP fez um trabalho em parceria com uma ONG para atender meninas por meio de uma atividade de balé.

“Por meio da dança, do balé, fazemos intervenções para desenvolver habilidades como trabalho em equipe e comunicação, competências que o mercado de trabalho exige e as crianças não são instigadas a pensar nisso. Uma intervenção inovadora de Psicologia do trabalho por meio da dança, abrindo o horizonte das meninas que moram em meio ao tráfico”, explica.

Durante a pandemia, o CREP fez alguns atendimentos online, entre eles, o de orientação a adolescentes da própria comunidade Brejaru que estavam procurando vagas de trabalho no programa Jovem Aprendiz.

Michelle salienta que o CREP consegue atender o estudante durante o curso dando a oportunidade para que ela aprenda e desenvolva um olhar futuro sobre a sua profissão, mas também para o egresso. “O aluno que se forma já consegue ter um networking desenvolvido a partir do projeto e passar a prestar os serviços que ele aprendeu atuando no CREP.”

A professora reforça que o trabalho é feito com muita paixão e entusiasmo. “Entendemos que é nosso papel enquanto docente do ensino superior ter essa ponte com todos esses públicos. Eu e a Carol [professora Carolina Bunn Bartolotti] trabalhamos juntas há dez anos e temos uma sintonia fantástica. Além disso há muito comprometimento dos nossos estudantes.”

A existência do CREP é garantida, anualmente, por meio da aprovação em edital da Unisul que submete os projetos de extensão da universidade.